Disfunção erétil

Disfunção erétil

De origem física ou psíquica, esse problema, ainda tabu, afeta milhões de homens em todo o mundo. Se este for o seu caso, você deve saber que a disfunção erétil tem uma solução e pode ser prevenida. Descubra como.
Escrito por Margarita Casado Jiménez, Bacharel em Medicina pela Universidade de Alcalá de Henares
Avaliado por Dr. José Antonio Nuevo González, Especialista em Medicina Interna. Serviço de Emergência do Hospital Gregorio Marañón em Madrid
Prevenção da disfunção erétil
O que é disfunção erétil
Causas da disfunção erétil
Fatores de risco de disfunção erétil
Sintomas de disfunção erétil
Diagnóstico da disfunção erétil
Tratamento de disfunção erétil
Prevenção da disfunção erétil
Prevenção da disfunção erétil Obesidade, consumo de álcool e sedentarismo são fatores de risco para o desenvolvimento de disfunção erétil.

Leia também: Remédio para impotência
Compartilhado:
15
Compartilhar conteúdo no Facebook Compartilhar conteúdo no Twitter Compartilhar conteúdo no Pinterest
Compartilhar conteúdo em Menéame Compartilhar conteúdo por email
A prevenção da disfunção erétil visa evitar, na medida do possível, os fatores de risco que contribuem para o seu surgimento. Como vimos, embora as chances de sofrer de disfunção erétil aumentem com a idade, esse distúrbio, que afeta diretamente sua qualidade de vida, não é uma conseqüência inevitável do envelhecimento. No entanto, há uma série de doenças e hábitos nocivos, como tabagismo e alcoolismo, que predispõem ao aparecimento desse problema.

É possível, portanto, prevenir o desenvolvimento da disfunção erétil adotando estilos de vida saudáveis ​​dos jovens ou modificando aqueles que são incorretos. Algumas medidas que podem ser adotadas são:

Deixar de fumar
Deixar de fumar
Numerosos estudos associaram a disfunção erétil ao tabagismo. O tabaco dificulta a circulação sanguínea, de modo que o pênis recebe menos risco. O tabaco tem a capacidade de alterar a síntese de óxido nítrico (NO), uma molécula que tem a função de células musculares dilatando veias, facilitando o fluxo sanguíneo e aumentar a oxigenação de tecidos, o que favorece a erecção. Os efeitos prejudiciais do tabaco podem ser mantidos após a cessação, mas estudos indicam que adultos jovens que param de fumar reduzem o risco de disfunção erétil no futuro.

Não abuse do álcool
Não abuse do álcool
Se este é um abuso ocasional, os efeitos imediatos do resultado consumo excessivo de álcool, no sentido de emoção sentida pelo bebedor não é acompanhado pela rigidez peniana habitual, ou seja, a rigidez é menor do que quando nenhum consumir álcool. No caso do alcoolismo crônico, a disfunção erétil está diretamente relacionada ao tempo, frequência e quantidade de álcool ingerido pelo paciente. Em certos casos, o alcoolismo pode causar uma disfunção erétil permanente que não se referem ou mesmo depois de sair do vício, por isso é vital para eliminar ou minimizar o consumo de álcool, logo que possível.

Realize o exercício
Realize o exercício
Como em muitas outras condições, o sedentarismo é um importante fator de risco para o desenvolvimento da disfunção erétil. O exercício físico praticado regularmente (pelo menos 3 ou 4 vezes por semana, durante pelo menos 30 minutos) tem inúmeros benefícios, diminui as chances de sofrer de doenças cardiovasculares, reduzindo o colesterol ruim e promovendo a circulação sanguínea. Devido à estreita relação entre os distúrbios cardiovasculares e da disfunção eréctil, prevenir tais doenças (doença cardíaca, hipertensão, hipercolesterolemia, arteriosclerose), ainda mais a protecção contra a disfunção sexual.

Controlar o peso
Controlar o peso
O excesso de peso e a obesidade estão relacionados a distúrbios metabólicos que podem levar ao diabetes mellitus, uma doença fortemente associada à disfunção erétil. Portanto, é necessário seguir uma dieta saudável e balanceada combinada com a prática de exercício recomendada no ponto anterior, para evitar o excesso de peso e suas consequências indesejadas.

Resto
Resto
Falta de sono, estresse e atividade excessiva podem diminuir a libido e causar disfunção erétil. Buscando ter horas de descanso mais eficazes é vital para traçar o seu desejo.

Não se auto-medicar
Não se auto-medicar
Certos medicamentos podem causar disfunção erétil. Você nunca deve tomar medicamentos sem supervisão médica e, no caso de continuar o tratamento devido a uma doença crônica, outras medidas devem ser adotadas (como dieta adequada e exercícios) que ajudem a minimizar a dose de medicação necessária. para obter os resultados

Fonte: https://www.valpopular.com/remedio-para-impotencia/

Leave a Reply